27 maio 2010

ENCONTROS E DESENCONTROS

Encontrei um canal de vídeos no Youtube de um casal que narrava todos os seus encontros e desencontros. Pelo que entendi a separação foi no ano de 2006. O último vídeo foi uma carta de separação. Realmente, tudo na vida tem seu momento de acontecer. Eu tinha que ter lido isso. Vá entender os mistérios da vida. Entre tantos vídeos para eu assistir olha o que veio parar frente aos meus olhos:


"Antes eu pensava que ia doer. Mas hoje.. hoje fiquei me perguntando: Cadê? É estranho e ao mesmo tempo tão bom ter um coração que não sente. Meu coração sentiu tanto que acostumou. Depois de algum tempo chegou a hora, não é? Chegou a hora de me desprender daquele laço. As músicas românticas hoje tocam sem sentido. Achei por muitas vezes que o destino que nos separava podia te trazer de volta. Quanta ilusão. Passei muito tempo evitando frequentar lugares de nós dois, me controlando na internet, me poupando de lágrimas. Sabe, meus amigos estavam acostumados com o meu sorriso e não sabiam que atrás desse cara tinha um menino que chorava no escuro. Quando te vi em outros braços, doeu. Mas doeu mais do que eu imaginava. Meu orgulho estava ferido e meu amor-próprio... eu já não sabia onde encontrar.

Inventei histórias para mim mesmo, superei cada ausência com desculpas que eu mesmo criei. Montei meu castelo e quando ele desabou, não aguentei. Mas hoje, não. Hoje percebo que o pouco que existiu foi bom. Nada mudará o que deixamos de viver e era isso que me matava aos poucos. Às vezes que eu não liguei, as festas em que não fui, os recados que não deixei. Parei e me olhei no espelho. Esqueci tudo que não aconteceu e lembrei de mim.

Hoje percebo que você tem o que merece. Tem uma pessoa que pensa que te ama. Porque amar, você pode até duvidar, mas quem amou foi eu!

Eu superei a dor, aguentei tudo em silêncio e sei o que restou para cada um de nós dois. O que eu tenho, o que você jogou fora.

Uma vez li em algum lugar que "só o que nos pertence é o passado, e isso basta". De certa forma, hoje isso faz sentido quando não se tem mais um futuro para sonhar. Seu sorriso por vezes coloriu meu mundo. Eu tive uma história e hoje me orgulho de tê-la vivido. E de ter encontrado no meio de milhões de pessoas, entre tanta gente chata e algumas boas, você.

Lamento, mas você morreu dentro de mim. Pelo menos da forma que eu queria que você vivesse. E vou lamentar todas as vezes que alguém perguntar por nós dois. Aquele nosso "caso meio complicado" de se entender. Tudo aquilo que vivemos e deixamos de viver. Não queria te ver partir, mas dessa vez se fez necessário. Você quis assim. Talvez um dia possamos nos encontrar como naquele dia, naquela noite, inexperadamente, surpreendentemente.

Mas se a vida te apresentar alguém melhor do que eu, e se o amor vencer todos os seus preconceitos, que você seja feliz.

Seja sempre esse encanto, essa pessoa sem juízo, com seus vinte e poucos anos que lhe enche de orgulho. Mas seja feliz. Sem olhar pros lados, nem pelo retrovisor. Pela primeira vez, quero você no meu passado. Quero olhar com saudades as velhas fotografias, dos nossos dias de sol, de todas as músicas e olhares trocados, dos nossos bicos e birras, daquele seu sorriso envergonhado do meu amor que era teu.

E se eu olhar para trás e ver tudo isso, verei a pessoa linda que um dia eu conheci. Que tinha um coração mais puro e mais doce, com menos malícia, menos amargura e menos sarcasmo trazidos pelas "grandes amizades país a fora". Presente de grego de uma tela de computador. Há quem valorize, mas eu prefiro quem eu possa olhar nos olhos.

E se por um acaso do destino eu te encontrar no meio da rua... eu vou te abraçar com saudade, mas vou seguir em frente. Porque agora não tenho mais porque te evitar, se o coração já não sente, se a esperança foi embora. E pra falar a verdade, por tudo que eu fiz: eu mereço ser feliz também. Até um dia..."

Nenhum comentário: